Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Vereador cobra qualidade nas obras realizadas pela Odebrecht Ambiental

Vereador cobra qualidade nas obras realizadas pela Odebrecht Ambiental

por Ascom publicado 09/11/2016 14h50, última modificação 09/11/2016 14h50
Ivanilson cobra que as manutenções no asfalto feitas pela empresa sejam realizadas com responsabilidade

Por: Heliana Oliveira


Quem trafega pelas ruas de Gurupi já percebeu que em diversos pontos da cidade há um desnível no asfalto. A secretaria de Infraestrutura, responsável pela manutenção e conservação das vias tem realizado diariamente as melhorias por meio de recapeamentos, mas há locais em que as obras são feitas em um dia e no outro já estão desfeitas devido o rompimento nas tubulações de água. Quando isso ocorre, a Odebrecht Ambiental, empresa qe explora os serviços de tratamento de água, deve fazer  a manutenção da via, mas o que ocorre é que é feito sem critérios e em vários pontos da cidade fica o desnível, o que provoca indignação dos gurupienses.

Após diversas críticas à concessionária, empresários de Gurupi procuraram o vereador Ivanilson Marinho (PMDB) para que cobre da empresa que o trabalho seja feito com responsabilidade e qualidade, e na manhã desta quarta-feira, 09, o vereador apresentou requerimento expondo essa reivindicação da comunidade.

“A proposta é que a empresa tenha responsabilidade com o serviço de engenharia para que devolva o serviço na mesma condição que encontrou. Ela quebra o asfalto para corrigir problemas nas tubulações, mas tem que ter a responsabilidade de entregar um serviço de boa qualidade, como encontrou. Ela não faz um serviço corretamente e depois dará defeito e aí caberá à Secretaria de Infraestrutura refazer, gastando dinheiro mais uma vez em um local em que já foi feito as melhorias”, explanou.

O vereador ainda destacou que está cobrando responsabilidade da empresa, uma vez que, houve aumento nas taxas de água e esgoto. “Esse aumento tem que ser revertido nos serviços que a empresa executa”, argumenta.